segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Fukushima pode ter até 100% de energia renovável até 2040


Quase três anos após os eventos naturais – e o vazamento nuclear – que destruíram boa parte da província de Fukushima, no Japão, um novo e audacioso plano para reverter boa parte deste impacto ambiental foi anunciado pelo governo local: tornar a região 100% sustentável até 2040.

Atualmente, 22% do fornecimento de eletricidade vêm de fontes limpas, tendo painéis solares e turbinas eólicas como principais canais. Neste novo plano, os cerca de 2 milhões de habitantes de Fukushima terão, pouco a pouco, um acréscimo nesta capacidade, sobretudo em iniciativas nas comunidades locais.

Esta mudança também poderá significar uma quebra de paradigma no Japão, que mesmo após os incidentes nucleares, ainda aposta na energia nuclear. “O governo japonês é muito negativo”, afirmou Tetsunari Iida, diretor do Instituto de Políticas de Energia Sustentável. “Os governos locais como o de Fukushima ou o de Tóquio são muito mais ativos e progressistas que o governo nacional que está ocupado com as indústrias”.

Paralelamente, o antigo primeiro-ministro japonês, Morihiro Hosokawa, foi candidato de uma plataforma antinuclear à presidência da câmara de Tóquio. A eleição, que decorreu há algumas semanas, era tida como um referendo à tentativa governo japonês reiniciar os reatores nucleares e, no futuro, toda a energia nuclear do país. Hosokawa perdeu, mas disse que iria continuar a sua luta antinuclear.

“Tóquio anda tenta colocar as centrais nucleares e os resíduos nucleares em outras regiões, ao mesmo tempo, que desfruta da conveniência da eletricidade enquanto grandes consumidores”, disse Hosokawa numa conferência de imprensa durante no mês passado. “O mito de que a energia nuclear é limpa e segura terminou. Voltar a ativar as centrais nucleares seria um crime contra as gerações futuras”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário