terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Campanha mostra os verdadeiros níveis de conservantes e químicos em sucos e néctar de “frutas”



Uma nova campanha lançada pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) promete mudar alguns conceitos em relação às bebidas artificiais disponíveis no mercado brasileiro.
A iniciativa surge a partir da pesquisa publicada neste mês pelo Idec, que apontou que os néctares (bebida industrializada que contém apenas uma porcentagem da fruta) não respeitam a quantidade mínima de teor da fruta em sua composição, além disso, possuem grande quantidade de açúcar e aditivos químicos.

Batizada de Agite (-se) Antes de Beber, a ação feita em parceria com a Oxfam, surgiu a tem o objetivo de alertar os consumidores qual a composição real destes produtos, que por muitas vezes concentram açúcares e aditivos demais e frutas de menos.
Por meio de um vídeo promocional, é possível saber o quanto de conservantes e outros ingredientes nocivos para a saúde estão nestes itens e a forma como eles são colocados nos versos das embalagens. 

Veja o vídeo:

Pesquisa do Idec com Néctares
O Idec testou em laboratório 31 amostras de néctares de sete marcas: Activia, Camp, Dafruta, Dell Vale, Fruthos, Maguary e Sufresh, em diferentes sabores. O objetivo era identificar se os produtos cumprem os principais requisitos de qualidade e de identidade previstos na Instrução Normativa (IN) nº 12/2003 do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), analisando itens como o teor de fruta e a quantidade de açúcar, por exemplo.
O Mapa não estabelece uma metodologia oficial para identificar a quantidade de fruta nas bebidas. Por isso, o Idec pretende chamar a atenção para essa necessidade de fiscalização e a importância desta informação no rótulo, para ajudar a melhor escolha do consumidor.
Do total, 10 produtos (32%) foram reprovados por não conter o teor de polpa ou suco de fruta exigido por lei. Segundo a norma atualmente em vigor, o percentual mínimo de fruta varia de 10% a 40%, dependendo do sabor do néctar. 
Para Ana Paula Bortoletto, nutricionista do Idec, o resultado do teste é grave, tanto pelo alto índice de descumprimento da legislação, quanto pelo fato de que muitos consumidores acham que néctar é a mesma coisa que suco.
Contudo, na verdade, para ser chamada de "suco", a bebida deve ser composta praticamente só de fruta (e de água, em alguns casos) e não pode conter substâncias "estranhas"; já o néctar, além de apresentar só uma parcela de fruta, ainda contém açúcar e aditivos químicos, como corantes e antioxidantes. "Essa confusão [entre néctar e suco] é reforçada pelo uso ostensivo de imagens de frutas nas embalagens dos néctares, passando a falsa impressão de que a bebida é natural'", destaca Ana Paula. 

Foto de capa: NOGG3R5 / Flickr (Creative Commons)

Nenhum comentário:

Postar um comentário